Campeonato NacionalPorsche Cup

Notícias

07 Dezembro 2020

Porsche Cup: Vitória nos 500 km fica com Lara e Piquet Jr; título de Endurance acaba com Feldmann

Frangulis e Di Mauro vencem na classe GT3.

A temporada 2020 da Porsche Cup teve seu capítulo final traçado em grande estilo na corrida de 500 km em Interlagos. Depois de mais de uma centena de voltas, Lucas di Grassi saiu dos pits e, por questão de centímetros como se fosse uma corrida de sprint, viu o carro de Nelson Piquet Jr contornar a curva do Lago à sua frente. Na bandeirada, triunfou o Porsche #3, de Fran Lara e Piquet. Foi a primeira vitória dos dois pilotos no geral. O título de Endurance geral coube a Alceu Feldmann, que dividiu o carro com Thiago Camilo e recebeu a bandeirada em terceiro lugar.

Foto: Luca Bassani

Vice-campeão de Endurance no geral, Nelson Piquet Jr acabou com o título na classe Sport. Curiosamente, foi o primeiro campeonato brasileiro conquistado pelo ex-F1 correndo de carro na carreira –ele tinha títulos no Sul-Americano de F3, F3 Britânica, FIA Fórmula E, mas conquistas de Brasileiro apenas no kartismo.

A disputa na classe GT3 Cup teve vitória do carro #88, de Georgios Frangulis e Gaetano di Mauro, tanto na categoria geral quanto na classe Sport. Foi a terceira vitória consecutiva de Di Mauro na prova de encerramento da temporada da Porsche Cup (em 2018 ele vencera na Carrera Cup e ano passado na GT3). O título de Endurance ficou com a dupla Chico Horta e William Freire, favorecida na volta final por contato entre os carros #15 e #18, que perderam posições de pista e consequentemente preciosos pontos no campeonato.

Outra tripulação beneficiada pelo entrevero foi a do carro #14, composta por Enzo Elias, Dimas Pimenta e Jeff Giassi, o bicampeão do programa de Esports da Porsche Cup. Depois de cravar a pole geral na véspera, eles lideraram boa parte da disputa. Mas as chances de lutar pela vitória desapareceram após drive-thru por uma infração na saída dos pits. Vinham em sexto lugar para a bandeirada, mas conseguiram superar o carro #15 que estava com pneu furado na última volta.

A vitória na classe GT3 Trophy ficou com a dupla Marco e Maurizio Billi, com o título terminando nas mãos de Nelson Monteiro e Nelson Marcondes.

A jornada de 500 km determinou também os quatro vencedores dos títulos Overall, apurados pelo somatório entre os pontos válidos do campeonato de Sprint (após descartes) e os pontos de Endurance.

Destaque da reta final da temporada, com vitórias em Sprint e Endurance, Pedro Aguiar foi o grande campeão do ano na Carrera Cup. Rodrigo Mello levantou a taça na classe Carrera Cup Sport, por apenas dois pontos de vantagem sobre Fran Lara.

O campeão Overall na classe GT3 Cup foi Zeca Feffer, catapultado por uma tocada muito consistente ao longo de todo o ano. Já o Overall na classe GT3 Cup Sport ficou com o maior “papa troféus” de 2020: Nelson Marcondes.

 

Porsche Cup 2020 – Galeria de Campeões

Carrera Cup

Sprint: Miguel Paludo

Endurance: Alceu Feldmann

Overall: Pedro Aguiar

 

Carrera Cup Sport

Sprint: Rodrigo Mello

Endurance: Nelson Piquet Jr

Overall Sport: Rodrigo Mello

 

GT3 Cup

Sprint: Nelson Marcondes

Endurance: Chico Horta e William Freire

Overall: Zeca Feffer

 

GT3 Cup Sport

Sprint: Nelson Marcondes

Endurance: Leo Sanchez e Átila Abreu

Overall: Nelson Marcondes

 

GT3 Trophy

Endurance: Nelson Marcondes e Nelson Monteiro

 

A corrida

Na largada para a corrida de 117 voltas, Gabriel Casagrande ultrapassou Paludo, enquanto Werner Neugebauer veio em terceiro. Aguiar era o quarto, depois de dividir o "S" do Senna com Lico Kaesemodel.

Depois da acomodação do pelotão com duas voltas percorridas, Casagrande liderava seguido por Paludo, Neugebauer, que havia avançado duas posições em relação à posição de largada, Aguiar e Luca Seripieri.

Um dos destaques do começo de prova era Sergio Jimenez, em sexto, após largar em 12º. Pela classe GT3 Cup, a liderança era de Elias, em 15º no geral.

Depois de 15 minutos, Casagrande tinha 6.774s de vantagem sobre Paludo, com Jimenez em terceiro, Neugebauer em quarto e Piquet, com uma boa escalada, em quinto. Pela GT3 Cup, a liderança era de Ramos, que havia passado Elias. Na GT3 Cup Sport, Diego Nunes era o primeiro com o carro #85, à frente de Átila Abreu.

Com 27 minutos de corrida, alguns carros já iniciavam o ciclo das paradas obrigatórias, casos do carro #18 de Cesar Ramos, do #77 de Chico Horta, Renan Pizii no #32 e Marcelo Franco no #0. No topo do pelotão, faltando 100 voltas para a bandeirada, Casagrande já tinha 9.9s sobre Paludo, e este quase 5.0s sobre Jimenez, com Piquet em quarto e Neugebauer em quinto.

Casagrande trouxe para os pits depois de 22 voltas e vinha com cerca de dez segundos de vantagem para Paludo. Este permaneceu na pista e assumiu a liderança. Pela GT3, em oitavo no geral, o líder no geral era Elias, com o carro #14, à frente de Abreu, que liderava na GT3 Sport.

Depois de 24 voltas percorridas, ou metade da distância mínima para os carros que competiam em dupla, os pits tiveram grande movimentação, com os carros de Piquet, Feldmann, Aguiar, Ricardo Baptista, Nelson Monteiro e Paludo entrando na mesma volta. Com 45 minutos de corrida, apenas três carros deviam o pit stop obrigatório, os três primeiros colocados: Enzo Elias, Átila Abreu e Lucas Salles, sendo que os carros #14 e #15, como contavam com três pilotos, tinham o mínimo de 32 voltas por competidor.

Na volta 32, Ziemkiewicz tentou ultrapassar um concorrente, houve o contato entre os carros, e o #80 acabou rodando. No processo, ele perdeu posições para Dennis Dirani, Pedro Boesel, Lara e Christian Hahn, que havia assumido a máquina #8 no lugar de Neugebauer.

Com uma hora de prova percorrida e 85 voltas faltando para a bandeirada, a liderança era do carro #7 com Dennis Dirani, à frente de Pedro Boesel, Fran Lara, Christian Hahn e Rouman Ziemkiewicz. Pela classe GT3, Giassi liderava com o #14, uma posição à frente de Sanchez, com Di Mauro em terceiro.

Na Trophy, a ponta era do carro #199 de Nelson Marcondes e Nelson Monteiro, mas eles ainda teriam de cumprir uma punição, o que poderia trazer a dupla Marco e Maurizio Billi de volta à disputa pela vitória na divisão de entrada.

Na 35ª volta, Rouman teve uma formidável disputa com Massa. O piloto do carro #80 foi ultrapassado, mas deu o troco numa manobra memorável. Seis voltas depois, Di Grassi passou Ziemkiewicz, e este tentou seguir o carro #27. Mas escapou na Junção e voltou sem danos, mas perdeu tempo.

Faltando 70 voltas para a bandeirada, a maior parte dos carros já vinha para a segunda parada obrigatória - as exceções eram o #20 de Salas e #90 de Ricardo Maurício. O destaque do segundo stint foi Di Grassi, que, quando entrou nos boxes, liderava a prova no geral. Na GT3, a liderança era do #14, com Giassi, que tinha 2.0s de vantagem sobre Di Mauro.

Depois de 50 voltas percorridas, vieram lado a lado durante praticamente metade da volta Dirani e Neugebauer, e, no fim, Dennis prevaleceu sobre o representante do carro Shell. O duelo favoreceu a aproximação de Lara, piloto da classe Sport que vinha na mesma balada dos ponteiros da prova.

Na volta 52, Werner teve um furo no pneu, o que comprometeu as ambições de título para a tripulação que chegara à decisão em segundo na tabela. Com praticamente 250km percorridos, faltando 60 voltas, o carro #15 liderava na classe GT3, na Sport e na geral com Sanchez estendendo seu stint como havia feito Átila Abreu. O segundo e líder na Carrera era o #7 de Dirani, com Lara, Kaesemodel e Baptista a seguir. O segundo carro da GT3 era o #88, sob o comando de Frangulis.

Depois de percorrer suas 32 voltas seguidas, Sanchez trouxe o carro #15 para os pits na marca de 1h57, a 53 voltas do fim. Com isso, abriu caminho para Dirani assumir a liderança à frente de Lico, Baptista e Camilo. Faltando 50 voltas para a bandeirada, Dirani entrou nos boxes na ponta, enquanto Baptista seguia na pista à frente de Franco, Kaesemodel e Dimas Pimenta, líder na GT3.

Com 2h20 de prova e 75 voltas completadas, Massa passou Hellmeister pela quarta posição no geral e terceira na Carrera Cup. O primeiro era Müller, mas devia um pit stop em relação aos concorrentes. Nessa mesma volta, Maurício fez formidável ultrapassagem sobre Boesel e Di Grassi no S do Senna.

Na volta 81, o carro #8, com Neugebauer, escapou no fim da reta oposta e ficou na brita.

Com o safety car acionado, praticamente todos os carros entraram no pit, para não perder tempo atrás do safety e realizar uma das paradas obrigatórias de seis minutos. O time de estratégia do carro #3 foi preciso, chamando Piquet rapidamente para os pits.

A ordem dos cinco primeiros era Massa, Salas, Camilo, Di Grassi e Bueno. Pela classse GT3, Müller, com o sétimo lugar, era o ponteiro, à frente de Gaetano, Giassi, Suzuki e Feffer.

Na volta 85, Giassi trouxe o carro para a quinta parada enquanto liderava no geral. O segundo lugar era do carro #15, com Abreu uma volta atrás. Entre os que aproveitaram o safety car para fazer o serviço de pit, o primeiro era o carro #3 de Lara, terceiro no geral.

Faltando 27 voltas, o carro #14 foi punido com um drive-thru por infração na saída dos pits. Com isso, comprometeu os planos de Giassi lutar pela vitória no geral. A liderança seguia com Átila, ainda devendo a quarta parada, com Lara em segundo uma volta à frente de Kaesemodel e Di Grassi.

Na marca de três horas de corrida, faltando 24 voltas para a bandeirada, as tripulações que ocupavam os três primeiros lugares tinham ex-pilotos de F1: Lara era o primeiro, seguido por Di Grassi, e este tinha um segundo de vantagem sobre Lico, no carro #91. Aguiar era o quarto, e em quinto estava Franco.

Faltando 20 voltas, com 3h04 de prova, Lara ainda liderava cumprindo sua 48ª volta e assim percorrendo a distância mínima necessária para cumprir o regulamento. Camilo já tinha as cinco paradas realizadas e vinha com o melhor ritmo da pista àquela altura. Di Grassi, segundo na pista, vinha reduzindo a margem do carro #3. Mas ainda devia uma parada, bem como o carro de Kasemodel.

Depois de cem voltas, a liderança era de Lucas di Grassi, ainda com quatro paradas. Ele tentava ampliar vantagem para sair dos pits em primeiro depois do último serviço obrigatório de box.

A maioria dos outros concorrentes ou já havia feito a quinta parada ou estava nos pits, caso de Kaesemodel e dos carros #3, #20, #100 e #0. Pela GT3, Frangulis liderava estando em sétimo no geral, mas apenas com quatro paradas.

A 15 voltas do fim, Di Grassi saiu dos pits, e Piquet passou centímetros à frente, numa corrida de Sprint entre os dois pioneiros do Brasil na Fórmula E pela vitória nos 500 km de Porsche. Camilo vinha logo atrás com o carro #100.

Com 3h30, faltando nove voltas, Piquet livrava mais de dois segundos de Lucas. Camilo vinha tranquilo em terceiro, enquanto o duelo pelo quarto lugar era intenso entre Massa e Salas, com este prevalecendo no S do Senna.

Já pela classe GT3, o líder era o carro #88, com Di Mauro em 14º no geral. O segundo era Suzuki, com o carro #19, e Müller era o terceiro com o #15. Faltando três voltas para a bandeirada, a briga era na GT3 com o carro #18 de Ramos atacando decisivamente Marçal.

Piquet trouxe com tranquilidade o carro para a vitória e, no processo, conquistou o título na classe Carrera Cup Sport, além de ter alcançado a primeira vitória na categoria, tanto para ele quanto para Fran Lara. Di Grassi foi o segundo, à frente de Camilo, Salas e Massa.

Na GT3, a disputa foi franca até a volta final entre Ramos e Müller, mudando o destino do título. Marçal teve um pneu furado após um contato com o carro de César. Mas na bandeirada a vitória ficou com Di Mauro/Frangulis, à frente de Suzuki, Ramos, Freire e Elias.

 

O que eles disseram:

“Foi positivo, estávamos com bastante chance também na Sprint mas aconteceram algumas coisas como furo de pneu, batidas e fomos abençoados na Endurance com o título e ainda depois de tanta coisa errada hoje ainda ficamos em terceiro. O Thiago Camilo voa na pista, muito feliz pelo título na Porsche e ainda mais ao lado do Thiago.”

Alceu Feldmann

 

“Essa temporada foi muito boa, tive problemas só na primeira etapa, mas consegui me recuperar bem. Foi uma temporada consistente no geral. Consegui bons resultados na endurance e bons resultados na Sprint. Estou muito grato com essa temporada e com esse título overall.”

Pedro Aguiar

 

“Estou muito feliz, essa vitória estava batendo na trave há alguns anos, já tinha ficado em segundo com o Alan Hellmeister mas foi muito bom vencer pela primeira vez em disputa com pilotos tão bons. Foi uma corrida disputada até as últimas voltas, foram 500 Km e uma diferença de dois ou três segundos apenas. Gostaria de agradecer a organização, equipe, patrocinadores o Fran. É sempre bom terminar o ano assim.”

Nelson Piquet Jr.

 

“Não podia ser uma corrida melhor. Nosso ritmo de corrida foi muito bom durante todo o final de semana. Os mecânicos e nosso engenheiro estavam completamente em sintonia com a gente, só tenho a agradecer pelo resultado.”

Fran Lara

 

“O título veio com muita emoção na última volta. Nossa corrida foi legal, mas sofremos um pouco com a entrada do safety car, ele veio em uma hora errada para a gente e impediu que pudéssemos chegar mais longe. Bacana pelo final emocionante que nos garantiu o título.”

Francisco Horta

 

“Na última volta! O Chico evoluiu muito durante o ano. A temporada de Sprint dele foi de altos e baixos, com batidas que ele teve e não teve culpa e acabou não brigando pelo título. O desenvolvimento dele durante o ano ajudou muito nossa dupla no endurance. Sempre disse que o importante era ele andar rápido nas tomadas de tempo e na corrida, pois a garantia de um bom resultado vinha de um bom desempenho dele. Os pilotos profissionais andam muito próximos, então é importante ele andar bem no grupo dele que me tranquilizaria na minha. O safety venho em uma hora errada para nós, um pouco depois e eu estaria na briga pela vitória. O importante de tudo isso foi garantir o título de bicampeão da Endurance.”

William Freire

 

“A temporada terminou muito melhor do que começou para mim. A expectativa para o ano que vem é a melhor possível. Esse desempenho nos 500km nos mostrou que tenho ritmo para qualquer tipo de prova, seja ela de 20 voltas ou 120 eu consegui corresponder. Não poderia ter terminado o ano melhor.”

Georgios Frangulis

 

“Foi muito bom, fizemos um bom trabalho desde o começo, o Georgios evoluiu muito durante o ano e está em um ritmo muito forte agora. Eu consegui ajudar para ele se adaptar neste tipo de corrida e conseguimos extrair o máximo do carro e vencer a corrida.”

Gaetano Di Mauro

 

“Foi emocionante, trabalhamos muito para esse título. Foi uma pena o que aconteceu, não esperávamos. O Cesinha guiou muito, já tínhamos ganho o campeonato, já tínhamos passado o Müller, não esperávamos uma atitude assim. Mas foi bom, estamos felizes com o que deu, e vamos trabalhar mais para ganhar o campeonato no ano que vem.”

Zeca Feffer

 

“Foi muito legal, quero agradecer ao Zeca pela oportunidade e confiança, e acho que retribuí a confiança. Fizemos um ano muito legal juntos, e nessa última etapa ainda contamos com o JP, que ajudou demais na corrida. O ritmo dele foi superimportante pra chegarmos ao fim disputando o título até a última volta. Corrida é assim, eu fui meio para o tudo ou nada, deu certo, o Marçal foi para o tudo ou nada, acabou dando errado para os dois. Acabou caindo no colo do Horta e do Freire, que mereceram também, fizeram corridas muito boas. Estou feliz com o resultado com o Zeca. No ano passado ficamos em quarto no campeonato, este ano vice pertinho do título. Chegamos a ser campeões por meia volta, mas faltou um pouquinho. Valeu demais!”

César Ramos

 

“Sem dúvida foi uma corrida emocionante, queria agradecer ao César e ao Zeca pelo convite, pela confiança. Uma pena ter terminado do jeito que terminou. Até a metade da última volta, éramos campeões, no caso eles. Mas fico feliz de ter participado com eles, foi um fim de semana muito legal, não podemos reclamar do vice pra eles. O vice é quase um campeonato, é o segundo melhor, tanto o Zeca como o César estão de parabéns, fico feliz de fazer parte dessa história com eles.”

JP Mauro

 

“Como já disse uma vez, se me falassem isso no começo do ano, eu não acreditaria. Percebi no meio do ano que trabalhando e me concentrando eu atingiria meus objetivos. Quatro títulos em um ano é algo incrível, já tinha a marca de unificar os títulos da classe e da geral na Sprint e agora conseguir um título da classe na endurance e ser coroado campeão overall é algo especial. Apesar da pandemia, 2020 vai ser um ano que ficará marcado para sempre no meu coração por realizar um sonho de criança.”

Nelson Marcondes

 

“Finalizada a temporada de Sprint que meu xará levou a melhor em cima de mim. Na Endurance foi um prazer enorme dividir o carro com o Nelsinho, aprendemos muito um com o outro e isso foi demais. Estou muito feliz com esse resultado. Não vencemos a corrida na categoria por conta da punição, mas mesmo assim garantiu o título, a classe Sport escapou por conta dessa parada extra pela punição, mas mesmo assim fico feliz com o resultado.”

Nelson Monteiro

 

“Essa temporada foi muito mais competitiva num todo. Os pilotos que estão chegando vêm melhorando muito o nível. Este ano foi cheio de surpresas devido à pandemia, complicado, sem público e sem poder levar até a família. Tínhamos tudo para ganhar, com uma boa estratégia. Na penúltima volta acabou tendo o toque porque estavam os dois disputando o título, no fim acabou nenhum dos dois ganhando, o Chico Horta acabou abençoado com o título. Mas ficamos felizes por ter tido um bom resultado, triste por não ter ganho o campeonato, mas o ano que vem nos aguarde.”

Leo Sanchez

 

“Foi uma prova em que nosso carro era muito ruim desde a tomada de tempos, classificamos com outro carro. Na corrida tivemos que jogar com a estratégia e no final estávamos ali próximos de conquistar o título. O Cesar Ramos vinha um segundo mais rápido e houve a batida onde furou o pneu traseiro do Marçal e não teve como ele frear depois, acertando o Cesar. De qualquer maneira defendemos o título da Sport, o outro não, sentimos o gostinho de defender o bicampeonato na geral até a última volta. Agora é trabalhar para o ano que vem. Parabéns ao Francisco Horta e William Freire que foram limpos o ano todo e o título está em boas mãos.”

Átila Abreu

 

“Minha centésima corrida na Porsche Cup, só por isso ela já seria especial para mim. Sonhava em fazer uma ou duas e atingi a marca centenária. A corrida foi muito boa para nós, estávamos na disputa pela vitória na classe e pódio na geral. O safety car acabou nos prejudicando um pouco. Mas, perder a corrida para o Nelsinho Piquet não é pouca coisa. Ainda acabo a temporada como campeão Overall da Carrera Cup Sport, não tenho nem palavras para descrever a sensação de vencer esse título, foi uma temporada de muita superação”

Rodrigo Mello

 

“Foi muito bacana, estou muito feliz de estar na categoria como a Porsche que tem esse formato muito bacana de poder dividir o carro com outros pilotos. Espero estar dentro nos próximos anos e estou muito feliz em ser competitivo e ajudar o Alceu a conquistar o título.”

Thiago Camilo

 

“Foi bem legal! Apesar de serem corridas de Endurance, pareciam corridas de Sprint. As diferenças eram mínimas nas classificações e nas corridas, muitas disputas o tempo inteiro, com Paludoe Dirani, com o outro Dirani, Mello. Brigamos com todo mundo a corrida inteira. E foram dois P2. Pena que não pontuamos em Goiânia, senão poderíamos estar brigando pelo campeonato. Mas foi uma parceria muito legal com o Marcelo, divertida, como tem de ser a Porsche, cada vez mais profissional, mas extremamente divertida. Estou feliz, foi um ano atípico, de menos relacionamento, menos contato com o público, patrocinadores, mas fechamos com chave de ouro, em segundo na nossa categoria. Vamos trabalhar para estarmos aqui de novo no ano que vem.”

Cacá Bueno

 

“Foi incrível, meus parceiros foram perfeitos o final de semana inteiro e acho que estão contentes assim como eu estou. Na corrida lideramos até a volta 80, tínhamos chances de vencer, mas corridas são corridas, tivemos um problema nos boxes, mas mesmo assim deu para salvar um pódio e eu estou feliz demais por e pelo Jeff que fez sua estreia”

Enzo Elias

 

“Tivemos problemas de punição na primeira etapa da endurance que pode ter nos custado o título. Foi um ano regular para bom e não excelente como a gente esperava. Nessa última corrida priorizamos os primeiros stints contando com a chuva que não veio e deixamos o pneu usado para o final. Foi bom também andar com o Felipe e conhecer ele melhor, uma experiência bacana.”

Lico Kaesemodel

 

“Foi muito legal, muito divertido, o evento é espetacular e muito bem organizado. Gostaria de parabenizar o Dener pelo trabalho que ele faz aqui. Eu acho que a amizade entre os pilotos profissionais e não profissionais é muito legal, fazer uma corrida em dupla é muito interessante e me diverti muito. Pude aprender a pilotar uma coisa nova que são carros de turismo, acho que o resultado poderia ser um pouquinho melhor. Mas a experiência foi muito boa.”

Felipe Massa

 

“Foi uma corrida muito difícil. Apensar de endurance ela tem um ritmo de Sprint pois precisamos andar muito rápido em todas as voltas. Foi muito bacana esse segundo lugar, poderíamos ter brigado pelo título caso não tivéssemos furado o pneu em Goiânia.”

Rafael Suzuki

 

“Foi uma corrida muito difícil hoje. A estratégia faz muita diferença quando os jogos de pneus são limitados, precisamos pensar bem cada hora de usar cada jogo. Corrida boa e importante terminar como vice-campeão da Endurance.”

Guilherme Salas

 

“A corrida foi excepcional, estou feliz demais com a estreia. Lideramos uma boa parte dela, mas alguns imprevistos nos tiraram a chance de vitória. Fizemos a pole como equipe e caímos um pouco como equipe também. Apesar de tudo, conseguimos o pódio e me deixou muito feliz pelo resultado.”

Jeff Giassi

 

“Foi uma boa corrida, o Ricardo fez excelentes stints e me deixou com uma boa posição para acelerar e entrar na briga. Feliz com esse segundo lugar na Carrera Cup e feliz com a evolução do Ricardo no carro.”

Lucas Di Grassi

 

“Foi bem legal, ainda mais depois de largar lá do meio do pelotão. A corrida longa premia quem acerta nas estratégias e isso me deixa feliz com o resultado.”

Ricardo Baptista

 

Porsche Cup Endurance Series – 500 km:

  1. Fran Lara e Nelson Piquet Jr* + 3h43m44.087
  2. Ricardo Baptista e Lucas di Grassi + 2.312
  3. Alceu Feldmann e Thiago Camilo + 17.327
  4. Pedro Aguiar e Guilherme Salas + 19.200
  5. Lico Kaesemodel e Felipe Massa +30.917
  6. Marcelo Franco e Cacá Bueno* + 38.248
  7. Miguel Paludo e Dennis Dirani +40.334
  8. Rodrigo Mello, Sergio Jimenez e Pedro Boesel* +56.869
  9. Rodolfo Toni e Danilo Dirani* +59.211
  10. Renan Pizii e Galid Osman* -1 volta
  11. Rouman Ziemkiewicz e Gabriel Casagrande* -1 volta
  12. Eduardo Azevedo e Ricardo Maurício* -2 voltas
  13. Georgios Frangulis e Gaetano di Mauro* -2 voltas
  14. Lucas Salles e Rafael Suzuki -3 voltas
  15. Zeca Feffer, Cesar Ramos e JP Mauro -3 voltas
  16. Francisco Horta e William Freire -3 voltas
  17. Dimas Pimenta, Jeff Giassi e Enzo Elias -3 voltas
  18. Marco Billi e Maurizio Billi** -3 voltas
  19. Leo Sanchez, Átila Abreu e Marçal Müller* -3 voltas
  20. Eduardo Menossi e Diego Nunes* -4 voltas
  21. Ricardo Fontanari e Matheus Iorio* -4 voltas
  22. Paulo Totaro, Fabio Carbone e Márcio Mauro -4 voltas
  23. Nelson Marcondes e Nelson Monteiro** -4 voltas
  24. Ayman Darwich, Guga Lima e Ramon Alcaraz* -5 voltas
  25. Luca Seripieri e Alan Hellmeister -7 voltas
  26. Werner Neugebauer; Ricardo Zonta e Christian Hahn -41 voltas
  27. Kreis Jr e Raphael Reis - DNF

GT3 Cup

*Sport

**Trophy

Campeonatos (Endurance):
Carrera Cup
1. Alceu Feldmann 210
2. Nelson Piquet Jr. 192
3. Pedro Aguiar 186
Guilherme Salas 186
5. Ricardo Baptista 183
6. Lico Kaesemodel 166
Felipe Massa 166
8. Lucas Di Grassi 159
9. Thiago Camilo 155
10. Fran Lara 152
11. Werner Neugebauer 142
Ricardo Zonta 142
13. Miguel Paludo 123
14. Dennis Dirani 117
15. Marcelo Franco 113
Cacá Bueno 113
17. Rodrigo Mello 111
Sergio Jimenez 111
19. Rouman Ziemkiewicz 106
20. Luca Seripieri 88
Alan Hellmeister 88
22. Eduardo Azevedo 86
Ricardo Maurício 86
24. Rodolfo Toni 79
Danilo Dirani 79
26. Gabriel Casagrande 66
27. Beto Gresse 61
28. Pedro Boesel 56
29. Renan Pizii 45
Galid Osman 45
31. Renan Guerra 29
Alexandre Auler 29
Christian Hahn 29
34. Bruno Baptista 24

Carrera Cup Sport
1. Nelson Piquet Jr. 240
2. Rodrigo Mello 170
Sergio Jimenez 170
4. Fran Lara 168
5. Marcelo Franco 160
Cacá Bueno 160
7. Rouman Ziemkiewicz 158
8. Eduardo Azevedo 112
Ricardo Maurício 112
10. Rodolfo Toni 112
Danilo Dirani 112
12. Gabriel Casagrande 86
13. Pedro Boesel 80
14. Renan Pizii 60
Galid Osman 60
15. Alexandre Auler 48
Renan Guerra 48

GT3 Cup
1. Chico Horta 208
William Freire 208
3. Zeca Feffer 205
César Ramos 205
5. Lucas Salles 192
Rafael Suzuki 192
7. Léo Sanchez 173
Átila Abreu 173
9. Georgios Frangulis 166
Gaetano di Mauro 166
11. Marco Billi 132
Maurizio Billi 132
13. Nelson Marcondes 125
Nelson Monteiro 125
15. Ricardo Fontanari 112
Matheus Iorio 112
17. Paulo Totaro 107
Fabio Carbone 107
19. Enzo Elias 100
20. Eduardo Menossi 98
21. JP Mauro 94
22. Kreis Jr. 86
23. Ayman Darwich 78
24. Dimas Pimenta 76
Jeff Giassi 76
26. Raphael Reis 68
27. Marçal Müller 62
28. André Gaidzinski 61
Márcio Mauro 61
30. Diego Nunes 56
31. Dennis Dirani 45
32. Guga Lima 36
Ramon Alcaraz 36
34. Alexandre Auler 29
Renan Guerra 29
36. Antonio Junqueira 26
Alberto Cattucci 26
38. Urubatan Jr. 24
39. Guiga Spinelli 22
Lukas Moraes 22
41. Cristian Mohr 18

GT3 Cup Sport
1. Léo Sanchez 224
Átila Abreu 224
3. Marco Billi 172
Maurizio Billi 172
5. Georgios Frangulis 168
Gaetano Di Mauro 168
7. Nelson Marcondes 148
Nelson Monteiro 148
9. Ricardo Fontanari 132
Matheus Iorio 132
11. Paulo Totaro 122
Fabio Carbone 122
13. Eduardo Menossi 112
14. Marçal Müller 80
15. Andre Gaidzinski 72
Ayman Darwich 72
17. Diego Nunes 70
18. Márcio Mauro 62
19. Dennis Dirani 60
20. Guiga Spinelli 30
Lukas Moraes 30
Guga Lima 30
Ramon Alcaraz 30
24. Cristian Mohr 18
Kreis Jr. 18

GT3 Trophy
1. Nelson Marcondes 244
Nelson Monteiro 244
3. Marco Billi 240
Maurizio Billi 240
5. Ayman Darwich 90
Eduardo Menossi 90
7. Guiga Spinelli 48
Lukas Moraes 48
9. Cristian Mohr 36
Kreis Jr. 36
11. Andre Gaidzinski 30
Márcio Mauro 30

Fonte: Assessoria de imprensa / Autor: Assessoria de Imprensa