Confederao Brasileira de Automobilismo

Fia Fia

Não há eventos para os próximos dias.

Noticias

04/12/2017
Paludo ergue os títulos de Endurance e Overall da Porsche Império GT3 Cup

Miguel Paludo ergue os títulos de Endurance e Overall da Porsche Império GT3 Cup

Foram 500 km de muita velocidade e adrenalina em Interlagos no encerramento da temporada 2017 da Porsche Império GT3 Cup. Eram quatro títulos em jogo, dos certames de endurance e overall das classes Cup e Challenge.

Depois de muitas disputas, quem saiu sorrindo foi Miguel Paludo e a equipe Brandt. Correndo em dupla com o terceiro colocado do campeonato da Nascar Xfinity Series, Justin Allgaier, o gaúcho fechou a prova de 500 km em sétimo lugar. Favorecido pelos contratempos dos carros #3 e #63, a dupla do carro #7, mesmo fora do pódio, buscou a pontuação necessária para tornar o piloto de Nova Prata pentacampeão do evento dos carros de corrida mais produzidos no planeta. Miguel agora tem dois títulos de sprint, um de endurance e dois overall em seu currículo.

A prova foi movimentada desde o início e não teve intervenções do safety-car. Mesmo assim as estratégias foram bastante variadas, tanto que a jornada de 117 voltas teve nada menos que 17 trocas de liderança, entre seis carros diferentes. É verdade que o carro #3, dos poles e favoritos Ricardo Baptista e Sergio Jimenez, dominou a primeira metade da prova, liderando 48 das primeiras 60 voltas. Mas perdeu força com uma quebra na manga de eixo numa das paradas, o que obrigou os pilotos a recorrerem ao carro reserva depois de perder um bom tempo numa das paradas regulamentares nos pits.

No fim prevaleceu a dupla JP Mauro e Felipe Fraga com o carro #90. Eles assumiram a dianteira pela primeira vez na 74a passagem, voltaram a liderar nas voltas 96 e 97. E retomaram o primeiro lugar na volta 112, levando o carro até o final. Foi a primeira vitória de Fraga na Porsche Império GT3 Cup, a primeira vitória de JP Mauro na principal divisão do campeonato e também a primeira vitória de um carro com as cores da Hero em corrida da classe Cup.

Em segundo lugar ficou o carro #88, de Edu Azevedo e Ricardo Maurício. O bicampeão da Stock Car registrou pela segunda corrida consecutiva a melhor volta da prova. O desempenho levou a dupla aos mesmos 154 pontos de Lico Kaesemodel/Ricardo Zonta no campeonato de endurance. Mas os competidores da Shell Racing saíram vice-campeões pelos critérios de desempate.

Completaram o pódio da Cup os carros #27, de Ricardo Baptista e Valdeno Brito, #99, de Tom Valle e Daniel Serra, e #13, de Pedro Queirolo e Clemente Lunardi.
Pela classe Challenge a reviravolta seguiu o script similar.

O carro pole era o #21, dos favoritos Eloi Khouri, Diego Nunes e Marco Cozzi. Eles foram superados pelo #19 na largada, mas vinham em ritmo que daria o bicampeonato overall a Khouri. Mas o trio também precisou recorrer ao carro reserva e caiu de produção.

Melhor para a dupla Alan Hellmeister e Luca Seripieri. Vencedores da etapa passada em Goiânia, eles levaram o carro #31 ao 16o lugar no geral, à vitória na categoria e ao campeonato de endurance. Com o resultado, Luca conquistou seu primeiro título no automobilismo, e Alan o segundo título consecutivo das provas de longa duração da Porsche Império GT3 Cup –em 2016 ele havia sido campeão de endurance na classe Cup.

Em segundo lugar recebeu a bandeirada o carro #19, do trio de amigos Tom Filho, Rodrigo Mello e João Gonçalves. Em grande estilo, a performance rendeu a Tom o campeonato overall da classe em 2017. É seu segundo título consecutivo, uma vez que defendia a coroa de endurance, conquistada em 2016 em dupla com Mello.

Subiu em terceiro lugar no pódio da Challenge a dupla de pai e filho Marcus e Lucas Peres. Nando Elias e Rouman Ziemkiewicz ficaram em quarto, enquanto o trio formado por Paulo Totaro, Ronaldo Kastropil e Laszlo Piquet levou o troféu de quinto lugar.

A corrida

Com 117 voltas pela frente, os pilotos mantiveram a tranquilidade na largada da Porsche 500. Em um início de prova limpo, Sérgio Jimenez, o pole position, se manteve na primeira colocação, seguido por Ricardo Zonta, Valdeno Brito, Marcus Vario e JP Mauro.

Logo no segundo giro, Zonta mostrou muita habilidade para ultrapassar Jimenez no S do Senna. Já o quarto colocado, Vario, perdeu a freada no fim da reta e escapou.
Já na classe Challenge, também houve mudança na liderança, com João Gonçalves deixando para trás Diego Nunes.

Na abertura da volta cinco, Marcus Vario tentou fechar Tom Valle em disputa na reta principal e perdeu o controle do carro. Sobrou até para Giulio Borlenghi, que estava ao lado deles. Com o toque, Vario bateu no muro, e o carro só foi parar na proteção de pneus no fim da reta.

Enquanto isso, seguia uma boa disputa pela liderança da corrida. Na sétima volta, Jimenez deu o troco em Zonta para retomar a primeira posição na reta oposta. De perto, Valdeno Brito apenas observava.

A briga também estava acirrada pela ponta da Challenge, com Diego Nunes bem próximo de João Gonçalves.

Um pouco mais atrás dos líderes, Felipe Nasr e JP Mauro lutavam pelo quarto lugar, com o ex-piloto da F1 levando a melhor.

Com meia hora de corrida, nada tinha mudado nas três primeiras posições, com Sérgio Jimenez em primeiro, Ricardo Zonta em segundo e Valdeno Brito em terceiro. A diferença entre os três permanecia em menos de dois segundos.

Na sequência, vinham Felipe Nasr e JP Mauro.

Enquanto isso, na Challenge, João Gonçalves seguia na liderança, seguido de perto por Diego Nunes.
Com os pilotos bem próximos na disputa pelas primeiras colocações, eles entraram juntos nos boxes para a primeira rodada de pit stops. A marcação tinha uma justificativa, afinal, quem chegasse na frente levaria o título de cada categoria.

Depois da primeira parada obrigatória nos boxes, os líderes seguiam os mesmos.

Apesar da primeira entrada para o pit, Jimenez, Zonta e Valdeno permaneceram no carro, com Zonta pressionando cada vez mais o líder.
Na disputa pela Challenge, Rodrigo Mello vinha na frente, com Eloi Khouri em segundo.

Por não ter cumprido o tempo mínimo de seis minutos no pit, Carlos Ambrósio e Felipe Nasr acabaram punidos.

Quem também recebeu punição foi Zonta por ter ultrapassado Valdeno dentro dos boxes. O piloto entrou para cumprir a penalidade na volta 36, quando estava no segundo lugar. O problema é que não cumpriu o tempo mínimo do time penalty padrão e precisou passar mais uma vez pelos pits algumas voltas mais tarde.

Assim, os cinco primeiros colocados ficaram: Jimenez, Valdeno, Felipe Fraga, Cacá Bueno e Clemente Lunardi.

Alheios a isso, na Challenge, Rodrigo Mello seguia em primeiro, com Eloi Khouri em segundo.

Com 1h20 de prova, os líderes das duas classes voltaram para os boxes para a segunda rodada de pit stops. E assim como na primeira parada, os dois primeiros colocados da Cup entraram juntos. Novamente, as posições não foram alteradas, com Rodrigo Baptista (em dupla com Jimenez) se mantendo na frente de Ricardo Baptista (dupla de Valdeno). No entanto, a liderança da corrida no momento estava com Zonta, que não entrou novamente para uma parada.

Na Challenge, Tom Filho ocupava o primeiro lugar, seguido por Alan Hellmeister e Marco Cozzi.

Minutos depois, o carro #21 de Cozzi (Eloi Khouri e Diego Nunes) teve de entrar nos boxes novamente por conta de alguns problemas.

Com 1h30 de prova, o top 5 tinha: Ricardo Zonta, Rodrigo Baptista, Felipe Fraga, Ricardo Baptista e Daniel Serra. Mas com Zonta entrando nos boxes para mais um pit obrigatório, Rodrigo voltou para a liderança, seguido por Fraga, Ricardo e Serra.

A classe Challenge seguida com poucas alterações, com Tom Fillho em primeiro, Alan Hellmeister em segundo e Marcus Peres em terceiro.

A metade da prova chegou em Interlagos com Rodrigo Baptista ainda em primeiro, seguido por Ricardo, Pedro Queirolo, Bruno Baptista e Ricardo Maurício. Nesse momento, o top 3 da Challenge estava igual, com Rouman Ziemkiewicz em quarto e Maurizio Billi em quinto.

Mas nem tudo seguiria tranquilo para o líder da corrida. Rodrigo passou a sofrer com problemas na roda traseira direita e teve de entrar nos boxes. Sem outra alternativa, foi obrigado a trocar de carro, ficando mais de nove minutos e meio parado. Isso fez o campeão de sprint de 2017 dar adeus à chance de presentear Jimenez com o título de endurance e levar, ele mesmo, o overall.

Assim, Lico Kaesemodel pulou para a ponta, e Rodrigo caiu para o 17o lugar.

Com 2h30 de corrida, Clemente Lunardi aparecia na primeira posição, seguido por Marcos Gomes, Werner Neugebauer, Justin Allgaier e Bia Figueiredo.

Na Challenge, o top 3 seguia o mesmo, apenas com a alteração dos pilotos nos carros: Rodrigo Mello, Luca Seripieri e Lucas Peres.

Em uma prova cheia de alternativas, Felipe Fraga (ao lado de JP Mauro) chegou nas 3h de corrida na primeira colocação. Depois, apareciam: Valdeno Brito, Ricardo Maurício, Nonô Figueiredo e Pedro Queirolo.

Já na disputa da Challenge, nenhuma mudança, com João Gonçalves, Alan Hellmeister, Marcus Peres, Rouman Ziemkiewicz e Maurizio Billi entre os cinco primeiros.
Com 100 voltas completadas, Nonô Figueiredo surgia na liderança da corrida, seguido por Pedro Queirolo e Miguel Paludo. Mas as três equipes ainda tinham mais um pit stop obrigatório a cumprir.

Faltavam sete voltas para o fim e 3h30 de prova já tinham sido completadas. E o resultado ainda estava aberto. Afinal, a liderança estava nas mãos de Lico Kaesemodel, que ainda precisava fazer mais uma parada de seis minutos nos boxes. Situação diferente da encontrada na classe Challenge, quando Alan Hellmeister era o primeiro e bastava levar o carro até a bandeirada.

Ao fim das 117 voltas e uma discreta garoa em alguns pontos da pista, a vitória ficou com a dupla Felipe Fraga/JP Mauro, seguidos por Ricardo Maurício/Edu Azevedo, Valdeno Brito/Ricardo Baptista, Daniel Serra/Tom Valle e Pedro Queirolo/Clemente Lunardi.

Na Challenge, o triunfo acabou com Alan Hellmeister/Luca Seripieri, com Tom Filho/Rodrigo Mello/João Gonçalves, Lucas Peres/Marcus Peres, Nando Elias/Rouman Ziemkiewicz e Paulo Totaro/Ronaldo Kastropil/Laszlo Piquet fechando o top 5.

Declarações dos pilotos


“Estou muito feliz pelas conquistas. Não foi o ano mais fácil para a gente, mas acreditamos o tempo inteiro. Tenho muito a agradecer à Brandt e ao Justin Allgaier. Ele saiu muito de sua zona de conforto e foi decisivo acelerando comigo neste sábado em Interlagos”

Miguel Paludo


“Estou feliz demais. Fizemos uma prova consciente o tempo inteiro. O João Gonçalves deu um show, o Rodrigo Mello foi muito rápido. Não conseguia manter o ritmo, porque eu era o cara dos pneus velhos. Mas nosso objetivo era trazer o carro para casa sem nenhum dano e tentar acabar a corrida inteiro. Fizemos a lição de casa. Não estava pensando no Overall, mas começaram a falar no rádio. Estou em êxtase. E a melhor coisa que eu tenho é poder ter minha mulher (Ana Carolina) e meu filho aqui comigo (Enzo). Só faltou a Maria Vitória, que está com febre e não veio. Meu pai também veio, o Tom pai”

Tom Filho


“Estou sem palavras. Só tenho a agradecer minha equipe inteira. Esse foi meu primeiro ano no automobilismo. A confiança que especialmente o Alan Hellmeister, meu técnico, teve em mim, não há preço que pague. Isso é prova de que a gente consegue. É um sentimento de realização, missão cumprida. É um dever feito. O tanto de aula que faltei na escola para estar aqui me dedicando a isso. O título da Endurance mostra o quanto me dediquei”

Luca Seripieri

“Pela minha vontade, podem me chamar para as corridas curtas, longas (risos). Mas só tenho a agradecer. Nesse ano, consegui montar um time com o Zé desde o começo. Fizemos um grande trabalho, com o Luca Seripieri também. Ele fez um excelente segundo stint, foi nesse momento que ele levantou nossa possibilidade de vencer a corrida. Estou muito feliz. Vamos ver no próximo ano. É uma responsabilidade a mais”

Alan Hellmeister

“Foram alguns dos minutos mais longos da minha vida essa parte final acompanhando fora do carro. O Felipe Fraga foi muito constante, estamos muito contentes. Nada melhor do que uma vitória para terminar um ano de altos e baixos. Estou muito feliz. Saiu a zica. É minha primeira vitória na Cup. Vamos para o ano que vem. Teve emoção do começo ao fim. Importante que fomos constantes, não sofremos nenhuma punição e levamos o carro até o fim”

JP Mauro

“É um prazer correr com esse moleque, que é o JP Mauro. Ele está guiando muito e fez a diferença durante a corrida. Ele estava virando muito próximo dos outros caras. Tivemos uma estratégia boa, e essa vitória estava até demorando um pouco para sair. No Velo Città, a gente se acidentou. Em Goiânia, o carro quebrou. Mas neste sábado deu tudo certo. Vamos comemorar. A Porsche é tudo impecável. Fico feliz em fazer parte desse projeto, ter o apoio da Hero e do JP que aceitou ser meu companheiro. Foi uma corrida muito divertida. É comemorar agora, porque a gente merece”

Felipe Fraga

“Ricardo Maurício é meu amigo faz quase dez anos. Correr com ele é um privilégio, é um dos grandes nomes do automobilismo brasileiro. Ele andou muito. No começo da corrida, sai com um pneu ruim, rodei e fomos lá para trás. Depois, começamos a nos recuperar. Estamos muito felizes. A parceria tem evoluído. Prometi para ele que iríamos ganhar, mas não deu”

Edu Azevedo

“Foi excelente. Todo mundo na corrida tem um problema aqui ou ali. Foi bom, excelente para terminar. Ficamos com o quarto lugar na prova anterior, agora terminamos em segundo. Na primeira corrida, tivemos um acidente e não conseguimos pontuar. Fiz a melhor volta da corrida em Goiânia e aqui de novo. Foi um ritmo legal. Nossas classificações não foram boas, treinamos pouco no fim de semana. Para uma corrida de 500km, requer um pouco mais de atenção. Mas estou super feliz em terminar a temporada no pódio, com esse segundo lugar. Queria agradecer ao Dener Pires, ao Edu Azevedo”

Ricardo Maurício

“Sem dúvida, esse terceiro lugar tem sabor de vitória. Tivemos três contratempos que nos custaram mais de um minuto. Travou o câmbio comigo, depois com o Valdeno Brito. Tivemos de desligar a chave geral, religar de novo. Depois, quebrou a suspensão do carro. Valdeno trouxe o carro até os boxes e pegamos um reserva. Pelo menos, conseguimos fazer uma troca bem rápida nesse pit stop. O ritmo estava muito bom, uma pena. Com certeza, dava para ter saído com uma vitória”

Ricardo Baptista

“Foi uma corrida legal. Fica um gostinho de quero mais, porque tivemos de pegar o carro reserva. Se não, até daria para a gente ter disputado com o Felipe Fraga no fim. Mas foi muito legal, fazia um ano que eu não corria na categoria, tinha feito os 500km do ano passado. Foi legal. Espero ano que vem fazer as três”

Daniel Serra


“A corrida foi muito legal, nosso carro estava bem interessante. Tivemos um problema de freio desde o início da prova. Com os pneus novos, o carro estava bom, mas conforme o pneu ia desgastando as rodas travavam. Convivemos com esse problema, mas fizemos uma corrida muito boa. Andamos bem, fizemos bons pit stops, correndo com um monte de fera. E ainda conseguimos o primeiro lugar na Sport. Estamos bem satisfeitos com o fim de semana. Deu até para liderar algumas voltas. Uma pena que estava com o carro mais desgastado no fim, do contrário, até daria para pegar um terceiro lugar geral”

Pedro Queirolo


“A gente tem de agradecer ao Dener Pires e ao time Porsche. Organizar uma festa dessa só ele e o time dele mesmo. O Pedro Queirolo foi sensacional, me deu condições de participar com ele. É sempre bom a gente voltar, ainda mais no meio de tanto piloto fera. Quando a gente vem, temos uma expectativa, mas foi fantástico. Sou máster, afinal de contas (risos)”

Clemente Lunardi

“Me sinto muito bem, muito orgulhoso do Miguel Paludo. Estou muito feliz por fazer parte disso, a Brandt está crescendo cada vez mais no Brasil e isso tem relação direta com o projeto desenvolvido nas corridas de Porsche. Estamos muito orgulhosos com os resultados na Porsche, com os títulos do Miguel por dois anos seguidos. É muito especial ser uma pequena parte nisso. Ano que vem, pretendo voltar se o calendário permitir. Foi muito bom ter o Miguel como parceiro na Nascar e, agora, na Porsche”

Justin Allgaier

“É frustrante (a punição por terem feito uma ultrapassagem dentro dos boxes). Na nossa interpretação, não estávamos errados, estávamos usando o limitador dentro dos boxes. Foi falado no briefing que poderia até fazer três linhas para não bater, já que aqui tem bastante espaço. Os comissários tomam algumas atitudes e parecem árbitros de futebol, que não querem voltar atrás. É uma pena. A segunda punição foi erro da nossa equipe. Mesmo com a primeira punição daria para a gente ser campeão. Agora, é levantar a cabeça. A gente sabe que as pessoas erram, no meu ver o erro foi dos comissários. Mas saímos de cabeça erguida. Mostramos que éramos rápidos. Ano que vem, tem mais”

Lico Kaesemodel


“Bateu na trave, quase ganhamos a corrida. Fizemos nosso melhor, estou muito satisfeito com a guiada. Fico feliz em ter ajudado o Tom Filho a conquistar um título. Agora, vamos para o próximo ano”

Rodrigo Mello

“Foi um campeonato muito legal, correr com o filho (Lucas) é muito mais divertido. Foi nosso primeiro ano na categoria, acho que fizemos um bom trabalho competindo com duplas mais experientes, algumas delas até com pilotos profissionais. Foi muito legal”

Marcus Peres


“Mais um pódio. Fomos quarto colocados na geral, segundo na Sport. Ano passado, tínhamos ficado em quinto. Estamos evoluindo. Quem sabe, não ficamos em primeiro no ano que vem?”

Rouman Ziemkiewicz

“Tivemos uma equipe bacana, não cometemos muito erros. Tivemos um time penalty por conta de um stint que foi um pouco mais longo, mas no fim das contas a gente foi constante, o que é o mais importante em uma corrida longa, como essa. Tivemos calma, virando um tempo razoável. O ano foi muito legal, minha primeira experiência correndo em carros e tenho que agradecer à Michelin e à categoria por tornar isso possível. Para 2018? Surpresa”

Laszlo Piquet


“É muito bom. Tive muita ajuda do Ronaldo Kastropil e do Laszlo Piquet, que guiaram mais forte. Mas, humildemente, fiz minha parte. É muito bom estar aqui. A família Porsche é demais”

Paulo Totaro


Classificação da prova

1) JP Mauro/Felipe Fraga
2) Edu Azevedo/Ricardo Maurício
3) Ricardo Baptista/Valdeno Brito
4) Tom Valle/Daniel Serra
5) Pedro Queirolo/Clemente Lunardi
6) Adalberto Baptista/Bruno Baptista
7) Miguel Paludo/Justin Allgaier
8) Sylvio de Barros/Cacá Bueno
9) Lico Kaesemodel/Ricardo Zonta
10) Ramon Alcaraz/Bia Figueiredo/Beto Gresse
11) Marcel Visconde/Werner Neugebauer
12) Beto Leite/Nonô Figueiredo/Marcos Gomes
13) Rodrigo Baptista/Sérgio Jimenez
14) Daniel Schneider/Thomas Preining
15) Francisco Horta/Fabio Carbone/Guilherme Reischel
16) Luca Seripieri/Alan Hellmeister (CHA)
17) Tom Filho/Rodrigo Mello/João Gonçalves (CHA)
18) Carlos Ambrósio/ Felipe Nasr
19) Marcus Peres/Lucas Peres (CHA)
20) Nando Elias/Rouman Ziemkiewicz (CHA)
21) Paulo Totaro/Ronaldo Kastropil/Laszlo Piquet (CHA)
22) Rodolfo Toni/Dennis Dirani (CHA)
23) Marco Billi/Maurizio Billi (CHA)
24) Mario Chomali/Carlos Ruiz (CHA)
25) Ricardo Mendes/Leandro Romera/Alexandre Auler (CHA)
26) Marcelo Stallone/Beto Posses/Rodolfo Ometto
27) Eloi Khouri/Diego Nunes/Marco Cozzi (CHA)
28) Kreis Jr/Giulio Borlenghi/Lucas Foresti


Não completaram:
Marçal Müller/Denis Navarro
Marcus Vario/Dennis Olsen

Pontuação

Cup

1. Miguel Paludo 168
2. Lico Kaesemodel 154
Ricardo Zonta 154
4. Eduardo Azevedo 154
Ricardo Maurício 154
6. Beto Gresse 151
7. Ricardo Baptista 149
Valdeno Brito 149
9. JP Mauro 142
Felipe Fraga 142
11. Sergio Jimenez 137
12. Cacá Bueno 135
Sylvio de Barros 135
14. Pedro Queirolo 129
Clemente Lunardi 129
16. Rodrigo Baptista 104
17. Adalberto Baptista 104
Bruno Baptista 104
19. Daniel Schneider 102
20. Beto Leite 101
Nonô Figueiredo 101
22. Tom Valle 85
Daniel Serra 85
24. Marcel Visconde 80
25. Felipe Nasr 73
26. Ramon Alcaraz 65
Bia Figueiredo 65
28. Justin Allgaier 62
Werner Neugebauer 62
Beto Valério 62
31. Marcus Vario 62
32. Pedro Piquet 55
Marçal Müller 55
34. Guilherme Reischl 52
35. Ingo Hoffmann 50
36. Fernando Fortes 40
37. Nelson Piquet Jr 40
38. Marcos Gomes 32
39. Thomas Preining 29
40. Juliano Moro 26
41. Francisco Horta 26
Fabio Carbone 26
43. Carlos Ambrósio 23
44. Allam Khodair 22
45. Marcelo Stallone 21
Beto Posses 21
Rodolfo Ometto 21
48. Kreis Jr. 19
Giulio Borlenghi 19
Lucas Foresti 19
51. Renan Guerra 0
Denis Navarro 0
Dennis Olsen 0
Guilherme Figueirôa 0
Julio Campos 0

Challenge

1. Luca Seripieri 108
Alan Hellmeister 108
3. Marcus Peres 97
Lucas Peres 97
5. Tom Filho 95
Rodrigo Mello 95
7. Rodolfo Toni 79
Dennis Dirani 79
9. Marco Billi 67
Maurizio Billi 67
11. Eloi Khouri 66
12. Nando Elias 66
Rouman Ziemkiewicz 66
14. Ronaldo Kastropil 59
Paulo Totaro 59
16. João Gonçalves 50
17. Dominique Teysseyre 44
18. Marco Cozzi 40
19. Laszlo Piquet 36
20. Danilo Dirani 32
21. Fabio Carbone 29
22. Esteban Guerrieri 26
23. Mario Chomalí 26
Carlos Ruiz 26
25. Ricardo Mendes 23
Leandro Romera 23
Alexandre Auler 23
28. Diego Nunes 21
29. Ricardo Mendes 17
Sérgio Maggi 17
31. Giuliano Losacco 15
32. Fernando Fortes 0